Agroindústria: suporte para a agricultura familiar no Brasil

agroindústria
6 minutos para ler

A agroindústria se refere a um conjunto de atividades do campo que visam à transformação de matérias-primas em produtos para consumo. A agricultura familiar no Brasil ocupa um espaço muito importante nesse cenário, pois é a principal responsável por prover alimentos e gerar empregos em comunidades locais que se encontram afastadas dos centros urbanos.

Entende-se por agricultura familiar os empreendimentos rurais que sejam predominantemente desempenhados e administrados por membros de uma mesma família ou comunidade. Conheça mais sobre a realidade desse setor com a leitura deste artigo!

Quais são as características da agricultura familiar no Brasil?

Um empreendimento rural é considerado familiar quando se enquadra nos seguintes critérios estabelecidos pela Lei da Agricultura (Lei N° 11.326):

  • utiliza mão de obra vinda majoritariamente de membros da própria família ou da comunidade local;
  • tem um percentual mínimo de renda originada do próprio empreendimento familiar;
  •  é gerenciado por uma família ou de forma coletiva;
  • detém área de, no máximo, quatro módulos fiscais por família.

Nessas diretrizes, também estão incluídos os seguintes grupos de trabalhadores:

  • agricultores;
  • pecuaristas;
  • silvicultores;
  • aquicultores;
  • extrativistas;
  • pescadores;
  • povos indígenas;
  • quilombolas;
  • demais integrantes de comunidades tradicionais.

Importância das atividades familiares para a agroindústria

A importância da agricultura familiar está centrada, principalmente, nos modos de cultivo empregados e na relação próxima que os trabalhadores têm com a terra. Ela se difere da produção industrial por manejar a lavoura de formas mais sustentáveis, pois faz pouco uso de agrotóxicos e adere ao cultivo diversificado.

Sabemos que a monocultura e a aplicação descontrolada de defensivos agrícolas estão relacionados a inúmeros distúrbios ambientais, como erosões, aumento de pragas mais resistentes e intoxicação em seres humanos. Além disso, essas práticas maléficas também diminuem significativamente a qualidade dos alimentos produzidos.

Para as famílias do campo, as fazendas são muito mais que um local de trabalho, já que é lá que residem e de onde retiram a sua principal fonte de sustento. Sua proximidade com a terra explica o porquê de tantos cuidados e demonstra a importância de valorizarmos essa forma de cultivo.

Além disso, a agricultura familiar também é uma grande estimuladora de comércios locais, algo essencial para aumentar a renda de comunidades rurais e levar alimentos de qualidade à mesa dessas famílias.

Quais são os maiores desafios da agricultura familiar no Brasil?

A agricultura sempre esteve repleta de obstáculos, uma vez que o seu sucesso depende da harmonia entre diversos fatores climáticos, geográficos, econômicos etc. O Brasil tem um clima propício ao plantio de várias espécies vegetais, mas o nosso calor e umidade também favorecem a proliferação de doenças e pragas agrícolas.

Além disso, não são todas as regiões brasileiras que podem usufruir da abundância de chuvas e solos férteis, pois sofrem com longos períodos de seca. Para esses casos, existem desde práticas simples até tecnologias de ponta que ajudariam a minimizar as adversidades, mas a falta de acesso a informações e subsídios financeiros acabam sendo novos empecilhos.

A escala limitada de produção é outra barreira enfrentada pelos agricultores familiares, que costumam contar com pouco espaço de plantio em pequenas propriedades, as quais são compartilhadas, ainda, com as suas próprias moradias.

Essas são as principais dificuldades que causam o enfraquecimento no Brasil, levando muitas famílias a abandonarem seus negócios e migrarem para os centros urbanos em busca de novas oportunidades de emprego. Mesmo as que persistem na atividade, precisam lidar com desinteresse dos jovens na sucessão familiar da propriedade rural, que não a consideram um negócio lucrativo.

Quais oportunidades, ferramentas e tipos de assistência estão disponíveis para a agroindústria?

A seguir, descubra o que pode auxiliar para o bom desenvolvimento da agroindústria.

Consumidor consciente

O consumidor moderno está mais atento aos impactos negativos que o agronegócio pode causar quando não é feito de forma sustentável. Dito isso, já existem nichos de mercado que exploram o interesse dos clientes em alimentos produzidos em conformidade com as boas práticas agrícolas.

O setor de orgânicos é um dos que mais se destacam nesse mercado, com a vantagem de alimentos mais nutritivos cultivados sem agrotóxicos. No entanto, a sustentabilidade agrícola envolve a produção como um todo, logo, fatores como técnicas utilizadas, condições de trabalho e índice de empregabilidade também devem pesar na hora da compra.

Inovações tecnológicas

Hoje, já existem importantes tecnologias agrícolas que são capazes de intensificar a produtividade no campo, mesmo em condições que costumam ser desfavoráveis ao plantio. Essas inovações fazem desde o gerenciamento da propriedade até o monitoramento da lavoura e a aplicação de insumos.

Exemplos disso são:

  •  drones;
  •  GPS;
  •  sensores;
  • estações meteorológicas;
  • softwares de gerenciamento agrícola.

Ainda, essas ferramentas são mais benéficas quando aliadas à agricultura de precisão (AP), um conjunto de técnicas que visa ao aumento da produtividade com o uso mais consciente dos recursos.

Assistências financeiras

Pensando nas dificuldades e na importância da agricultura familiar para o agronegócio, foram criados auxílios para estimular o crescimento dos empreendimentos rurais, seja para a sua modernização ou educação financeira e profissionalização dos seus trabalhadores.

O Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) é um dos mais conhecidos pelo apoio prestado. Atualmente, oferece subprogramas destinados a públicos diversos, como micro e pequenas empresas, cooperativas, além de mulheres e jovens agricultores. Essa é uma iniciativa do BNDS (Banco Nacional do Desenvolvimento), que também disponibiliza financiamentos para aqueles que procuram investir no seu negócio.

O Plano Safra é um programa federal do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) que fornece assistência técnica e montantes anuais de crédito destinado a pequenos e médios produtores rurais. Ele existe desde 2003 e procura se aprimorar para atender às particularidades da agricultura familiar.

Nesse contexto, a ministra da agricultura anunciou que o Plano Safra de 2020/21 teria uma agenda específica para a agricultura familiar. A decisão segue demandas da Contag (Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares) por um projeto que prioriza as necessidades desse setor.

A agricultura familiar no Brasil precisa de investimentos que estejam à altura da sua importância socioeconômica para a agroindústria. Para tanto, o setor já mostrou o seu potencial para o desenvolvimento sustentável do país, produzindo alimentos de alta qualidade e elevando o poder econômico de comunidades rurais.

Ainda não assinou a nossa newsletter? Cadastre-se agora mesmo no blog e receba as novidades do meio rural diretamente no seu e-mail!

Você também pode gostar

Deixe um comentário