Entenda por que a agrometeorologia de precisão pode potencializar a produção no campo

agrometeorologia
7 minutos para ler

A relação entre condições atmosféricas e o desenvolvimento das plantas é um assunto estudado pelo homem há milênios. Nos últimos anos, o avanço tecnológico e a pesquisa científica nos permitiram entender muito mais sobre essa complexa interação. Hoje, temos uma ciência dedicada ao assunto: a agrometeorologia.

Neste artigo, entenderemos o que é exatamente esse campo de conhecimento, que benefícios esses estudos trazem para o agricultor e quais tecnologias podem ser adotadas pelo produtor rural. Continue a leitura e saiba mais!

O que é agrometeorologia?

Trata-se de um campo de estudo que levanta dados sobre o clima, os seres vivos e o solo, além de investigar como as condições atmosféricas interferem na produtividade agrícola.

Com base nesse conhecimento, é possível definir estratégias para melhorar os resultados da safra, servindo de base para decidir as melhores práticas, por exemplo, de irrigação, espaçamento e época de plantio, bem como as cultivares mais adequadas ao clima em questão.

Assim, podemos dizer que a agrometeorologia engloba os estudos meteorológicos aplicados à prática agrícola. Vale ressaltar aqui que esses conceitos diferem da climatologia, que é um campo de estudo dentro da meteorologia. Para entendermos isso, é bom temos claras as diferenças entre tempo e clima:

  • o tempo (meteorologia) se refere a uma condição pontual e momentânea da atmosfera. Então, falamos do tempo quando dizemos que hoje ele está seco;
  • o clima (climatologia) considera um período mais longo e reúne um volume de dados maior para formar padrões. No estudo do clima, por exemplo, podemos afirmar que na Região Sudeste há fortes chuvas nos meses de janeiro e fevereiro.

Na meteorologia, a ideia é determinar o estado atmosférico em um momento e local específico de maneira mais imediata, e como isso afeta as atividades do homem, especialmente na agricultura, na qual temos mais especificamente a agrometeorologia.

Quais as vantagens dessa ciência?

A agrometeorologia é um campo de estudo indispensável para produtores que desejam garantir maior produtividade à sua lavoura e reduzir riscos inerentes ao agronegócio. Afinal, o desenvolvimento das plantas está diretamente ligado às condições atmosféricas, como umidade, chuvas, temperatura do solo e do ar e radiação.

As condições meteorológicas são fundamentais para o planejamento agrícola. No que concerne ao clima, é possível:

  • determinar a cultivação adequada ao clima da região;
  • tempo certo para realizar a semeadura.

Quanto ao tempo, os dados coletados servirão de base para tomada de decisões, como:

  • a viabilidade de uma pulverização em determinado dia;
  • níveis de irrigação necessários.

Para tanto, é preciso considerar também que existem condições que comprometem significativamente a safra, como períodos de estiagem, excesso de chuvas, geadas, granizo e ventanias.

Quando o agricultor consegue reunir todos os dados sobre as condições atuais e as previsões meteorológicas para os próximos meses, é possível tomar decisões mais acertadas para o seu planejamento agrícola. Nesse sentido, fica mais fácil definir a melhor época para o plantio e para a colheita, além de saber o modo ideal de fertilizar e aplicar defensivos.

Ainda, o produtor rural consegue aprimorar o uso de suas terras, produzir mais em um espaço físico menor e reduzir danos ao meio ambiente. Como isso é possível? A seguir, entenderemos melhor como os conhecimentos agrometeorológicos são estudados na prática!

Como esse estudo é realizado na prática?

O estudo da agrometeorologia se baseia na análise das condições atmosféricas da região e sua influência na lavoura. Os principais aspectos que interferem no desenvolvimento das culturas são a temperatura do ar, as chuvas e a radiação solar. Mas também entram na lista outros fatores, como direção e velocidade de vento, umidade do ar e do solo.

A relação entre cada um desses elementos e a planta varia bastante de uma cultura para outra. Algumas são mais sensíveis ao estresse hídrico, enquanto outras necessitam de mais atenção à temperatura. Existem centenas de culturas comerciais no Brasil, de modo que entender como o tempo afeta cada uma delas é um desafio.

Muitas organizações, porém, produziram publicações que ajudam o produtor a entender a interação cultura-clima de diferentes espécies, como:

Assim, os estudos agrometeorológicos sempre vão considerar as informações atmosféricas com as necessidades específicas da cultura para determinar as melhores estratégias a serem seguidas. Esses dados se baseiam em três níveis:

  • dados simples e numéricos sobre as condições meteorológicas, como disponibilidade de água no solo;
  • dados sobre a cultura, conforme seu grau de desenvolvimento;
  • estimativa de danos causados por intempéries, como granizo, ventos intensos e geadas.

Nesse sentido, os serviços de meteorologia do país contribuem para munir o agricultor com informações adequadas, como previsões do tempo mais detalhadas, conforme as datas das diferentes operações agrícolas. No entanto, esses dados podem ser ainda mais precisos e ágeis para o agricultor por meio da agrometeorologia de precisão, como veremos agora.

Afinal, o que é agrometeorologia de precisão?

A agrometeorologia de precisão permite que o agricultor tenha dados mais específicos sobre sua lavoura. Por meio de ferramentas tecnológicas em locais estratégicos da fazenda, como georreferenciamento e sensores, o produtor consegue extrair dados de diferentes pontos da propriedade.

Com essas informações sobre os elementos meteorológicos e as condições biológicas do solo e da planta, o agricultor tem recursos para levantar dados importantes, como:

  • produtividade das próximas safras;
  • planejamento da irrigação conforme a necessidade de cada talhão;
  • análise das condições atmosféricas ideais para operações de adubação e aplicação de defensivos;
  • avaliação da evapotranspiração.

Assim, as operações podem ser executadas em nível variável. Dessa forma, não haverá desperdícios de insumos e problemas com deriva podem ser minimizados, reduzindo o impacto ambiental.

Vale destacar também que a agrometeorologia de precisão considera as demandas do microclima de cada região. A verdade é que existem diversos fenômenos que ocorrem mais próximo à superfície, na lavoura, que afetam diretamente o desenvolvimento da planta. Logo, os dados coletados in loco conseguem enxergar essas necessidades.

Nesse contexto, a instalação de estações meteorológicas na propriedade se torna fundamental para retirar as informações mais relevantes para a sua lavoura. Essas estruturas monitoram em tempo real, mesmo com pequenas mudanças meteorológicas, como condições do vento, umidade e presença de insetos — e tudo fica conectado à gestão do negócio.

Como vimos, a agrometeorologia é um campo de estudo milenar indispensável para o sucesso do agronegócio. As novas ferramentas que temos disponíveis hoje aumentam a eficiência de análise a um nível muito mais elevado, garantindo resultados expressivos na lavoura.

Produzimos esse conteúdo com muito cuidado para promover mais produtividade e sucesso no campo. Faça você também a sua parte: compartilhe-o nas redes sociais!

Você também pode gostar

Deixe um comentário